Shadow and lights – 12 Bandas influenciadas pela Joni Mitchell

Por Camila Smith

Humanamente impossível falar de música e não citar uma das mulheres mais influentes e essenciais na história do folk, Lady Joni Mitchell <3

Eu descobri essa canadense linda e sua obra fantástica através de uma das minhas maiores musas, a Marie Fredriksson do Roxette, que se inspirou muito na cantora durante toda sua carreira. Eu devia ter meus 6 anos na época, corri para o meu pai, um verdadeiro apaixonado por música, e perguntei se ele conhecia a Joni; ele foi e me mostrou o álbum Blue, que se tornou um dos meus discos favoritos e de cabeceira, companheiro de tantas fases. Meu pai mal sabia, mas isso abriu uma porta mágica do meu mundo para todo um universo fenomenal de compositores cheios de sentimento, temáticas puras e simples, questionamentos de vida e dor da forma mais bonita em que eu já vi.

Daí por diante meu gosto musical tomou uma proporção muito mais abrangente e eu comecei a amadurecer na forma lírica de ser – acho que tem como perceber o tanto de feelings eu coloco nas minhas linhas, pois agradeçam ao folk music e em grande parte à Mitchell, que me ensinaram que era sempre bem-vindo encher algo com seu amago e essência. Aliás, agradeçam também a Paul Simon e Art Garfunkel, mas isso fica para outro texto…

 

Aproveitando o lançamento da primeira biografia propriamente dita da Joni, eu resolvi organizar uma lista e playlist de alguns dos meus outros ídolos que livremente se inspiraram nessa heroína, tirados da lista feita pela Rolling Stone de 15 artistas, com algumas curiosidades pessoais ligadas a essa que vos escreve. Preparem os ouvidos and let’s go down through the memory land:

 

  1. Prince

Prince, aka The Purple One, sempre foi um grande admirador de Lady Mitchell – ele inclusive a incluiu em uma das suas músicas do Sign o The Times que eu adicionei a playlist desse post – foi como ele começou o trabalho incrível de compor para artistas do sexo feminino, traduzindo como ninguém os sentimentos de uma mulher em suas letras. Eu sempre vou ter um amor imenso pelo Mr Roger Nelson, uma das maiores honras da minha existência foi vê-lo ao vivo aqui em London, no inverno de 2014 no saudoso KOKO em Camden, em um show fechado e surpresa – eu estava em um momento complicado da vida e essa performance me proporcionou uma luz extra e necessária para eu sair do bottom <3

 

  1. Björk

Essa boneca da Islândia teve sua forca e inspiração tirade da Joni – Björk sempre vai ser única e essencial. Acho que toda menina deveria uma vez na vida admirar essas duas e se basear na universalidade que elas proporcionam.

 

  1. Herbie Hancock

Joni Mitchell já afirmou categoricamente que prefere muito mais a companhia desse ícone do jazz do que a de Bob Dylan – eu não a Culpo. Herbie e um herói, com um talento nato, eu aprendi a ouvir jazz com meu pai e posso dizer que poderia ficar horas e horas ouvindo a obra do Herbie e divagar sobre a vida.

 

  1. Bob Dylan

Obvio que o companheiro de raiz tinha que estar na lista – Dylan colaborou com Joni em inúmeras ocasiões e os dois costumam trocar farpas uma vez ou outra. Eu admiro o trabalho do Dylan mais pelo fato de ele ter sido um grande amigo de dois dos meus maiores ídolos de todos os tempos (George Harrison e Tom Petty) do que do fator político em si. Eu escolhi uma das minhas músicas favoritas dele para colocar na playlist, que me lembra a pureza da Joni e o simplismo folk pelo qual foi conhecido.

Aliás, aparentemente, a Joni consegue fazer uma imitação do Dylan impagável e essa era uma das coisas que eu mais gostaria de ver.

 

  1. Bonnie Raitt

Essa musa do rock e amiga pessoal da Mitchell e afirma sempre que a mesma a salvou em um dos momentos mais difíceis de sua vida através da música – Joni a deu a confiança para seguir carreira.

 

  1. Neil Diamond

Parceiro de palco – e de cocaína no backstage – Neil Diamond sempre diz coisas fenomenais sobre a Joni e a considera como um marco na música e na expressão feminina.

 

  1. Chaka Khan

Essa diva sempre vai ter um espaço especial na minha vida, cresci escutando os hits da Chaka Khan e é notável o quão ela se inspirou na Joni. Aliás, um dos maiores sucessos da Chaka Khan foi escrito pelo Prince exclusivamente para ela.

 

  1. Annie Lennox

Ao lado da Kate Bush e da Marie, a Annie e minha musa inspiradora. A voz grave e cheia de sentimentos e grande faz da Mitchell – essa ativista-compositora-cantora-mãe-artista-escocesa linda, aliás, foi capaz de fazer algo que poucas pessoas fariam: manter a dupla ícone Eurythmics, com David Stewart (ex-noivo), cantando músicas descrevendo os altos e baixos e demonstrando um respeito enorme pelo partner mesmo com o fim do relacionamento – não tem como não amar essa mulher <3

 

  1. Donna Summer

Donna Summer aka the girl who worked hard for the money, uma diva linda, com uma voz fenomenal, amplamente sempre mencionou o quanto a Joni foi essencial na sua escolha de carreira.

 

  1. Jewel

Eu confesso que não conheço tanto a obra da Jewel como gostaria. Mas concordo com a importância que essa menina teve para a década de 90 – eu tenho o primeiro álbum dela em algum lugar na casa dos meus pais e costumava ouvir non stop, assim como Tori Amos.

 

  1. Chrissie Hynde

Outra girl power na lista, uma das mulheres mais fortes no mundo da música – muita gente chama a Hynde de chata, eu simplesmente acho que ela tem opinião e a sociedade tem medo de seres pensantes. Chrissie e fã de carteirinha da Mitchell e vai em todos os shows que consegue da cantora – aliás, ela vai estar por aqui com outra musa, Debbie Harry, em tour no início de 2018, e os ingressos esgotaram em 2 horas de venda.

 

  1. Christopher Cross

Esse teddy bear querido e amado mencionou numa entrevista que sua grande inspiração na forma de compor veio da obra da Joni – quem conhece Christopher Cross (e é sappy-piegas como eu), ama o sentimentalismo das letras e a melodia gostosa de ouvir.

 

[spotifyplaybutton play=”https://l.facebook.com/l.php?u=https%3A%2F%2Fopen.spotify.com%2Fuser%2F1167884095%2Fplaylist%2F7KUyPGy6WYYPTI5R0jrpHv%3Fsi%3DSumHOtUrQDGGWGr4mPY_qQ&h=ATM-reBv6g5MPeIjGP6fSlxWV0LwEhxdBfPatPWyhHwxJduwxVoxWWXrROec9iNA5266uugFjDS9RNdp05XFqpi_iNCLfU2Xm9_4nZBdwVzzxYLtBbj6pDUnpsSMhmLJGhly8_nnJzw”/]

X

C.

Comentários

Comente